Está começando sua família e desejoso em obter uma renda extra para ajudar nas despesas? Existem algumas soluções para essa situação: arrumar um novo trabalho, avulso; arriscar na loteria esportiva ou no Jogo do Bicho; caçar algum tesouro escondido. Há uma, porém, que traz efetivamente retorno: fazer investimentos mais formais.

Neste post, trataremos especificamente dos investimentos formais, ou seja, aqueles que você faz por meio de corretoras, bancos, bolsa de valores.

O tipo de investimento deve ser escolhido conforme seu perfil: conservador (deseja mais segurança), moderado (quer segurança, mas também está disposto a arriscar) ou agressivo (está disposto a correr grandes riscos).

Veja a seguir 5 tipos de investimento para a família que está começando!

1. A previdência privada

É um investimento para quem procura segurança no futuro, criando uma reserva financeira ao longo da vida para, na velhice, contar com mais estabilidade, mesmo estando aposentado pela previdência pública.

A previdência privada pode ser utilizada como aplicação para rendimentos em longo prazo, com retirada combinada no momento em que o serviço for contratado na corretora.

Ela apresenta planos variados em relação à tributação, permitindo ajustes ao perfil do investidor, inclusive às suas condições financeiras.

2. O seguro de vida

Realmente, é muito desagradável falar em morte, mas como estamos falando em investimento para a família, o seguro de vida deve ser lembrado. Ele protege a família em situações críticas. Assim, se a pessoa segurada vier a falecer, a família terá amparo financeiro.

Esse tipo de investimento vale também para outros casos, como invalidez permanente provocada por doenças ou acidentes. O contratante do seguro e toda a sua família ficam protegidos financeiramente. As seguradoras também dispõem de planos diferentes para diferentes perfis de segurados.

3. O mercado imobiliário

Fugindo à regra dos investimentos formais, esse tipo de investimento para a família é mais independente, mas vale a pena ser citado. Considerando o quanto o mercado imobiliário é capaz de ser lucrativo, comprar e vender imóveis pode ser um bom negócio.

Por exemplo, algumas pessoas compram imóveis na planta por um preço inferior e, quando eles estão prontos, revendem por um preço mais alto.

Alugar imóveis residenciais ou comerciais também costuma ser lucrativo, considerando que todas as pessoas precisam de moradia e de trabalho. Hoje, existe uma demanda elevada por salas comerciais.

De maneira formal e indireta, o investidor pode aplicar seu dinheiro em imóveis com a ajuda dos fundos imobiliários: o gestor de fundos direciona os recursos do fundo para imóveis prontos ou empreendimentos imobiliários (shoppings centers, restaurantes, hotéis, motéis), e o investidor recebe rendimentos proporcionais ao capital aplicado.

4. Os fundos de renda fixa

Muito dinâmicos e, ao mesmo tempo, mais seguros. São, portanto, ideais como investimento para a família. Um gestor, profissional especializado, administrará os recursos, aplicando-os em diversas opções de renda fixa conforme sua análise de mercado.

A renda fixa envolve títulos do Tesouro Direto, títulos privados (debêntures, por exemplo), letras de crédito (LCIs e LCAs), certificados de depósitos bancários (CDBs) e outros.

Mesmo sendo um dos produtos mais flexíveis para compor uma carteira de investimentos, o investidor deve analisar a liquidez e a taxa de administração do fundo em questão. Via de regra, fundos distribuídos por bancos costumam ter taxas mais altas do que os oferecidos por corretoras independentes.

5. A bolsa de valores

Opção destinada aos que estão dispostos a correr riscos maiores. As perspectivas de boa rentabilidade são altas, mas os riscos também. As flutuações na bolsa são constantes e, em um mesmo dia, podem acontecer muitas variações nos preços de algumas ações.

Para quem não quiser arriscar demais, existe a possibilidade de investir em fundos de ações. Como os fundos de renda fixa, a diversificação nos investimentos é maior, o que diminui os grandes riscos.

As ações podem ser de dois tipos: ordinárias (ON) e preferenciais (PN). As ordinárias dão direito de voto, enquanto as preferenciais não oferecem esse direito, mas oferecem lucros maiores. 

Esses são 5 exemplos de tipos de investimento para a família. Veja qual se ajusta melhor ao seu perfil e opte por ele. Não se esqueça de que uma consultoria está apta a ajudar em todo esse processo, auxiliando na escolha dos melhores tipos de investimento de acordo com seu perfil de investidor, seus objetivos e os da sua família. Outra dica que vale a pena é estudar mais sobre o mundo financeiro para saber como investir melhor e adequadamente.

Que tal continuar se informando sobre investimentos? Leia nosso guia especial e fique sabendo como investir de forma prática