Quando as pessoas começam a pesquisar sobre educação financeira, é comum se depararem com os termos orçamento pessoal e planejamento financeiro. Algumas vezes, o significado dos dois podem se misturar, mas, na verdade, eles não são sinônimos.

Para continuar se educando no assunto e se capacitando para montar um bom orçamento e fazer um planejamento eficiente das suas finanças, você precisa compreender o que cada conceito desses quer dizer. Então, que tal saber um pouco mais sobre eles? Confira as informações deste post!

O que é um orçamento pessoal?

Se você deseja fazer uma grande compra ou contratar algum serviço, qual é um dos primeiros passos que dá? Certamente, é o pedido de um orçamento junto à loja ou ao fornecedor do produto. Para oferecer essa informação ao cliente, o empresário faz uma estimativa do quanto gasta e do quanto pode ganhar em cada item.

O funcionamento do orçamento pessoal é um pouco diferente, mas guarda semelhanças em relação a esse exemplo. Considerando isso, você pode compreender seu orçamento como um registro do dinheiro que entra e sai da sua conta bancária mensalmente. Ou seja, é a representação das suas fontes de renda e dos seus gastos.

Assim, o orçamento não chega a incluir o planejamento financeiro, pois não estamos falando de decisões sobre as finanças ainda. É apenas o passo inicial de anotar o que ganha e o que gasta em determinado período de tempo. Fazer isso é essencial para conhecer sua realidade financeira.

O que é um planejamento financeiro?

Embora não seja sinônimo do orçamento pessoal, o planejamento financeiro depende dele. Isso porque registrar as movimentações financeiras é uma etapa indispensável para planejar e fazer escolhas a partir disso.

Então, do que se trata o planejamento financeiro? É a organização das suas finanças em torno de objetivos e metas que você traça para si. Ou seja, planejar significa tomar decisões e elaborar estratégias para alcançar os resultados que se espera, fugindo dos maus hábitos financeiros.

Por isso, o planejamento é mais amplo do que o orçamento pessoal, mas precisa dele para existir. Na prática, quando você identifica o quanto ganha e sabe os custos que tem por mês, consegue fazer planos e traçar estratégias para realizar mais com menos dinheiro.

Além do orçamento mensal, o planejamento envolve listar possíveis dívidas, parcelamentos, patrimônio familiar, projetos etc. Em resumo, todas as condições financeiras devem estar incluídas nessa ação. Dessa forma, o plano serve como um guia para sua vida sob o aspecto econômico.

Como os dois conceitos funcionam juntos?

Como você viu, orçamento pessoal e planejamento financeiro, apesar de diferentes, devem andar lado a lado para promover mais saúde e equilíbrio na sua relação com o dinheiro. Quem quer obter mais sucesso nesse aspecto da vida precisa saber registrar as movimentações que faz e planejar formas mais efetivas de administrar sua renda.

Assim, colocando em prática esses dois conceitos complementares é possível alcançar objetivos financeiros e até realizar mais rapidamente sonhos que parecem distantes – como fazer uma viagem em família ou adquirir uma casa.

Tudo começa com o orçamento, anotando as receitas e despesas você tem as informações das quais precisa para identificar possíveis dificuldades financeiras e planejar as soluções para elas. Ao fazer isso, o futuro começa a se desenhar de forma mais real, já que você está usando os dados do presente para se preparar para ele.

Dessa maneira, o orçamento pessoal e o planejamento financeiro até podem existir separados, mas não funcionariam tão bem assim. Sem os registros das entradas e saídas de dinheiro, fica praticamente impossível fazer planos para suas finanças. Ao mesmo tempo, montar um orçamento seria uma ação vazia se não proporcionasse a tomada de decisões mais conscientes a partir dele.

Quais são os benefícios de aliar o orçamento pessoal e o planejamento?

Agora que você sabe o que significa cada termo e como eles se complementam, que tal conhecer as vantagens de colocar os dois em prática?

Organização financeira

Não é segredo que os brasileiros enfrentam dificuldades em relação ao endividamento e à inadimplência. Para combater esses problemas complexos, a organização financeira é fundamental. E só se chega a ela estudando o assunto, estabelecendo um orçamento pessoal e fazendo um planejamento.

Ao organizar suas finanças você consegue identificar os gastos fixos e se preparar para eles. Dessa forma, evita atrasar contas, pagar juros ou perder o controle das saídas de dinheiro. Além disso, tem mais capacidade para planejar compras sem ultrapassar suas condições financeiras.

Realização de objetivos e sonhos

Por meio do orçamento e do planejamento também fica mais fácil realizar planos que você tem. Muitas vezes, as pessoas deixam de conquistar objetivos importantes para elas por não conseguirem encaixá-los no seu orçamento.

Entretanto, planejando melhor os custos é possível modificar essa realidade. Por exemplo, a análise dos seus registros financeiros permite a identificação de gastos que podem ser reduzidos ou mesmo cortados para possibilitar a realização de um sonho. Assim, algumas economias hoje financiam o seu futuro.

Proteção contra as instabilidades econômicas

Infelizmente, nem sempre a economia nacional anda bem. Quando chega um momento de crise, problemas graves afetam a vida do brasileiro, como desemprego, aumento das tarifas e dos preços dos produtos etc. Quem não tem um planejamento financeiro eficiente costuma sentir esses efeitos com mais força.

Já quem acompanha seu orçamento e se prepara financeiramente, consegue desenvolver mais independência em relação ao momento econômico do país. Assim, a pessoa pode contar com sobras de dinheiro e reservas financeiras para superar as dificuldades do momento.

Multiplicação do dinheiro

Além de todas essas vantagens, você sabia que o orçamento e o planejamento financeiro podem fazer seu dinheiro multiplicar? Não estamos falando apenas de conseguir que o seu salário dure mais tempo, mas também de obter rendimentos investindo no mercado financeiro.

Isso mesmo! Existem opções muito vantajosas para quem tem uma quantia sobrando e deseja investir, recebendo juros por ela. Por isso, vale a pena economizar e estudar investimentos que agreguem valor ao dinheiro que você já tem.

Agora, você já sabe quais são as diferenças entre orçamento pessoal e planejamento financeiro. Além disso, aprendeu como os dois conceitos se relacionam e quais são os benefícios de colocá-los em prática. Aproveite nossas dicas e conquiste bons resultados!

Gostou das informações deste post? Então, continue no nosso blog e conheça 7 boas práticas para potencializar sua vida financeira!