Você se lembra que o Brasil foi assolado por uma crise de dimensões históricas há poucos anos? É bem provável que sim, não é mesmo? Afinal de contas, até hoje, não conseguimos nos recuperar plenamente dela. Milhares de brasileiros perderam os seus empregos, se endividaram e tiveram de se desfazer de bens para conseguir colocar comida na mesa de casa. Entretanto, aqueles que se protegeram financeiramente ao longo do tempo, conseguiram sobreviver mais facilmente em meio a tanto caos.

Mesmo assim, ainda que a situação tenha melhorado para alguns, pensar em uma forma de administrar melhor o seu dinheiro se tornou imprescindível para ter um futuro tranquilo, mesmo que em situações econômicas adversas. Com a reforma da previdência se aproximando, ficará mais difícil se aposentar com o salário do INSS, por exemplo.

Então, por que não começar a cuidar melhor do seu dinheiro a partir de agora? A melhor maneira de começar a fazer isso é aplicando suas economias. Por isso, neste artigo vamos mostrar como você pode investir em uma corretora digital e quais os benefícios que isso pode trazer. Quer saber mais sobre o assunto? Então, acompanhe a leitura!

O que são investimentos?

Ainda que você não tenha o hábito de poupar dinheiro, com certeza já ouviu ou conhece alguém que utiliza a mais antiga forma de investimento: a caderneta de poupança. Ainda que ela seja pouquíssima rentável nos dias de hoje, continua sendo uma maneira de investir e ver o seu dinheiro render, mesmo que pouco.

Contudo, além dela, existem outras dezenas de possibilidades de investir seu dinheiro. Cada uma dessas modalidades de investimento oferece rentabilidades, prazos, aspectos e riscos diferentes. A seguir, mostraremos algumas informações sobre cada uma delas, confira:

CDBs

Os CDBs são uma das formas mais difundidas de investimento no mercado e são conhecidos pelo seu baixo risco. A sigla, que significa Certificados de Depósito Bancário, representam títulos, que são emitidos pelas instituições bancárias.

Basicamente, ao comprar um título de CDB, você está “emprestando” o seu dinheiro àquela determinada instituição e, em troca, vai receber um determinado percentual como retorno ao final de um certo período.

Nos dias de hoje, os bancos comercializam os seguintes títulos de CDBs.

CDB Prefixado

Os CDBs prefixados têm, conforme o próprio nome diz, uma característica marcante: ao adquirir o título, você contratará uma rentabilidade predefinida. Isso é o mesmo que dizer que você vai saber exatamente o valor final que receberá ao término do período de vigência do título.

CDB Pós-Fixado

No caso dos CDBs pós-fixados, a rentabilidade dos títulos será atrelada a uma taxa de referência. Geralmente, a taxa em questão é o CDI, que tem um valor bastante similar ao da Taxa Básica de Juros da economia brasileira, mais conhecida como Taxa Selic.

Apenas a título de informação, a sigla CDI significa Certificado de Depósito Interbancário. Esse certificado representa uma operação que acontece todos os dias entre os bancos, já que, por lei, nenhuma instituição bancária pode fechar o dia sem estar com saldo positivo em conta.

Aqueles bancos que estiverem com a conta no “vermelho” no fim do dia, deverão tomar emprestado uma determinada quantia com algum banco que esteja com saldo positivo e pagar uma certa taxa por essa operação, denominada CDI.

Os títulos de CDBs pós-fixados rendem um certo percentual do CDI, que varia de instituição para instituição. Por isso, vale a procura entre os bancos para encontrar aquele que ofereça o maior percentual do CDI a você.

É bom frisar que as duas modalidades do CDB têm desconto de Imposto de Renda, que será retido no momento do resgate. Esse desconto é regressivo, ou seja, quanto mais tempo você deixar o seu dinheiro investido em um CDB, menor será a alíquota descontada do IR.

LCIs

As Letras de Crédito Imobiliário, ou LCIs, também são títulos oferecidos pelas instituições bancárias. Entretanto, diferentemente dos CDBs, que financiam as operações do próprio banco, as LCIs são emitidas para levantar recursos destinados a empreendimentos imobiliários.

Da mesma forma que o CDB pós-fixado, as LCIs remuneram o investidor com um certo percentual do CDI, que também varia de banco para banco. As diferenças ficam por conta do valor mínimo a ser investido e o prazo da aplicação do dinheiro. Geralmente, as LCIs exigem uma quantia maior para o investimento inicial e mantêm o seu capital retido por mais tempo.

Portanto, caso você precise do dinheiro, é melhor procurar por aplicações com mais liquidez. Para compensar a retenção da quantia, as LCIs oferecem uma vantagem enorme ao investidor: a isenção do Imposto de Renda.

Caso você tenha o dinheiro disponível para investir e não vai precisar dele em um médio espaço de tempo, pode ser um grande negócio aplicá-lo em uma LCI, pois a rentabilidade será maior, graças à isenção de IR.

LCAs

As Letras de Crédito do Agronegócio, mais conhecidas como LCAs, são títulos bastante similares as LCIs. A diferença entre elas é que, enquanto as LCIs financiam as atividades do setor imobiliário, as LCAs arrecadam fundos para empreendimentos do agronegócio.

Por também se tratar de um investimento de renda fixa, você vai emprestar seus recursos em troca de uma determinada taxa de juros e, ao final do período da aplicação, receberá o capital aplicado somado aos juros.

Assim como as LCIs, as LCAs também oferecem ao investidor a isenção de Imposto de Renda. Por isso, pode ser extremamente vantajoso para quem busca segurança e maior rentabilidade, desde que você tenha em mãos a quantia mínima necessária para investir e pretenda deixar suas economias investidas por, pelo menos, um ano.

Tesouro Direto

Assim como os bancos emitem títulos para financiar suas atividades e as atividades do setor imobiliário e do agronegócio, o Governo Federal também emite títulos para financiar a dívida pública.

Para adquirir os títulos do Tesouro Direto, basta abrir uma conta para começar a investir em uma corretora digital e criar um login no site do Tesouro. Atualmente, existem 3 modalidades de títulos com os mais variados períodos de vencimento e rentabilidade. Confira abaixo.

Tesouro Prefixado

O título do Tesouro Prefixado funciona praticamente da mesma forma do que um CDB prefixado. Você aplica o dinheiro e no momento da contratação já sabe exatamente o quanto vai resgatar caso mantenha o título até o fim do seu vencimento.

Uma das vantagens do Tesouro Prefixado perante o CDB pré é que ele pode ser negociado antes do prazo de vencimento do título em caso de necessidade emergencial do capital investido. Na maioria das vezes, porém, quem vende antes vai perder algum dinheiro. Entretanto, dependendo da diferença entre a taxa de contratação e a vigente no momento da venda, o investidor pode lucrar bastante com a aplicação.

Tesouro Selic

O título do Tesouro Selic é o mais indicado para quem procura por investimentos similares à poupança. Como o próprio nome diz, ele é um título atrelado à Selic e o valor da sua aplicação é atualizado diariamente com os rendimentos.

A grande vantagem desse título é a liquidez diária. Caso você precise do dinheiro, pode solicitar o resgate e, caso tenha sido feito dentro do horário, o valor estará em sua conta no mesmo dia.

Além de oferecer a mesma liquidez, nas atuais circunstâncias econômicas, o Tesouro Selic rende mais do que da caderneta de poupança. Portanto, caso você esteja deixando seu precioso dinheiro aplicado na boa e velha poupança, está abdicando de um rendimento maior com as mesmas características ou, literalmente, deixando de ganhar dinheiro.

Tesouro IPCA +

O Tesouro IPCA + é um título considerado híbrido. Isso porque ele é pré e pós-fixado ao mesmo tempo. A sua rentabilidade pós-fixada é atrelada ao IPCA, Índice de Preços ao Consumidor Amplo, conhecido por ser o índice oficial da inflação brasileira.

Já a sua rentabilidade prefixada é determinada por uma taxa de juros fixada no momento da contratação. Portanto, em termos práticos, o seu dinheiro renderá esse determinado percentual, acrescido a inflação do período.

É o título perfeito para quem quer garantir o poder de compra do seu capital. Caso você aplique no Tesouro IPCA+, seu dinheiro estará protegido da inflação, já que vai tê-la como rentabilidade e, além disso, vai render mais um “percentual extra”, fixado no momento da contratação.

Fundo Multimercado

Os fundos multimercados compõem uma categoria de investimento que está cada vez mais popular no mundo financeiro. Em bom e claro português, um fundo multimercado consiste em um grupo de investidores que, ao adquirirem as cotas disponíveis, estão repassando o valor investido a um gestor que vai aplicá-lo em diferentes tipos de investimento.

Aqui é importante frisar que cada fundo oferece as suas particularidades, políticas e metodologias de investimentos. Existem fundos extremamente seguros, que aplicam somente em títulos de renda fixa, como CDBs, Tesouro Selic e etc. Enquanto outros são bastante arriscados e aplicam a quantia em renda variável, ações, câmbio e até mesmo em outros fundos.

Caso você pretenda investir o seu dinheiro em algum fundo multimercado, aqui vai uma dica de outro: sempre leia o prospecto do fundo antes de aplicar suas economias.

Nesse documento você vai encontrar tudo sobre os tipos de investimentos onde seu dinheiro será aplicado, quais foram as últimas rentabilidades, qual é a política de resgate dos valores e quanto o fundo cobra de taxa para administrar o seu dinheiro.

Bolsa de Valores

A Bolsa de Valores é um investimento de renda variável que pode ser bastante lucrativo, desde que você saiba (ou deixe o seu dinheiro com quem saiba) o que está fazendo. Basicamente, a Bolsa é o local onde as grandes empresas e companhias do mercado negociam frações dos seus negócios, denominadas de ações.

Diariamente, o valor dessas ações varia de acordo com as notícias, especulações, resultados e acontecimentos em geral. É por isso que a bolsa é conhecida como um mercado de renda variável.

Entretanto, ainda que os valores variem diariamente, os grandes investidores têm um mantra que caracteriza bem esse mercado: “preço é aquilo que você paga e valor é aquilo que você leva”. Em outras palavras, o preço é o que o os investidores determinam para aquela determinada ação, naquele determinado momento.

Já o valor é aquilo que a empresa realmente vale, desde as suas atividades e bens, até a sua capacidade de gerar renda e retorno para os acionistas.

Nesse caso, é extremamente importante saber o que analisar e em quais empresas aplicar seu dinheiro. Como esse é um mercado volátil, qualquer passo em falso pode resultar em uma tremenda perda de capital. Por isso, o mais indicado é buscar por conhecimento e, enquanto isso, investir em uma corretora digital para deixar suas economias seguras com quem entende do assunto.

Por que começar a investir?

Se tornar uma pessoa financeiramente controlada passa diretamente pela cultura de investimentos. Nós sabemos bem que, aqui no Brasil, poucas pessoas têm esse hábito e, as que têm, preferem investir na tradicional poupança do que se aventurar por outras modalidades de aplicações.

Se você pretende alcançar um futuro estável, poder arcar com os custos da faculdade dos filhos, se casar, tirar as férias dos sonhos, se proteger contra outra crise ou tem qualquer outro tipo de sonho, o caminho é um só: começar a investir em aplicações rentáveis.

Quem investe suas economias presencia um verdadeiro milagre, o “milagre dos juros compostos”, e vê o seu dinheiro aumentar exponencialmente ao longo do tempo. Quanto mais tempo você aplicar, maior será o seu retorno. Será, literalmente, uma bola de neve, mas daquelas que o deixará mais rico, e não mais pobre, como as dívidas do cartão de crédito.

Além disso, ao começar a investir, você adquire o importantíssimo hábito de poupar. Se você consegue poupar alguma parte do seu salário todo mês para investir, isso significa que você deixou de gastar aquele dinheiro agora para algo melhor no futuro. Quando você menos esperar, o hábito de poupar suplantará o mau hábito do imediatismo que a maioria dos brasileiros têm e se vai se tornar uma pessoa financeiramente controlada.

Como começar a investir?

Para começar a investir as suas economias, não é preciso muita coisa. Antes de mais nada, é importante traçar seus objetivos. Afinal de contas, é impossível sair do lugar sem saber para onde está indo, não é mesmo?

Portanto, independentemente da sua meta, o primeiro passo é traçá-la. Pergunte a si mesmo o que o motivou a tomar a decisão de poupar e investir o seu dinheiro e por quanto tempo você deseja seguir esse caminho. Foi economizar para comprar a casa própria? Ou, quem sabe, fazer aquela viagem em família que vocês tanto sonham? Seja o que for, ao começar a materializar o seu objetivo, as coisas caminham mais facilmente, acredite.

Depois de estabelecer suas metas, é fundamental traçar o seu perfil de investidor. A seguir, falaremos um pouco a respeito desse tema. Assim que você entender o seu perfil, vai saber exatamente os tipos de aplicação que se encaixam melhor para você.

Qual seu perfil de investidor?

Atualmente, o mercado financeiro oferece aos investidores dezenas de aplicações diferentes. Em meio à tanta variedade, como saber qual é o investimento ideal para você? Pode até parecer complicado responder a essa pergunta, mas é mais simples do que você imagina.

Para descobrir qual é o tipo mais adequado de investimento para você, basta traçar o seu perfil de investidor. Os três tipos mais comuns estão listados abaixo, confira.

Perfil conservador

Na prática, quem tem o perfil conservador não abre mão em hipótese alguma da segurança. Em outras palavras, ele está apenas em busca de poupar seu dinheiro e não dá tanta importância à rentabilidade das suas aplicações.

Quem tem perfil conservador costuma adotar, principalmente, a poupança, tanto pelo hábito que já adquiriu nesse sistema quanto pela fama (equivocada, vale frisar) de que a caderneta é o investimento mais seguro do mercado.

Para quem se considera um investidor conservador, existem algumas boas opções de investimento que executam o mesmo papel da poupança, com as mesmas características, mas que rendem mais. É o caso do Tesouro Selic, título do Governo Federal (considerado o credor mais confiável do mercado), ou CDBs de liquidez diária de alguns bancos, que rendem 100% do CDI.

Além disso, uma boa dica para quem tem perfil conservador é procurar pelos investimentos garantidos pelo FGC, o Fundo Garantidor de Crédito. O Fundo garante, caso o banco ou instituição que vendeu o título entre em falência, o resgate até o limite de R$ 250.000,00 por CPF.

Perfil moderado

Quem tem perfil moderado está em busca de maior rentabilidade nos investimentos e estão dispostos a correr alguns riscos em troca, mas, ainda assim, deseja ter segurança nas aplicações.

Nesse grupo, os investidores costumam não se contentar com os atuais rendimentos das aplicações de renda fixa, que estão em seus menores níveis graças às sequenciais quedas na taxa Selic, que serve como principal indicador de referência para esses investimentos. Talvez por isso, quem tem perfil conservador está mais disposto a conhecer sobre as novidades do mercado em busca de novas oportunidades.

Ainda que as aplicações de renda fixa estejam rendendo pouco, investidores de perfil moderado não abrem mão de tê-las nas suas carteiras. Por serem consideradas seguras, essas aplicações servem para diversificar a cesta de investimentos, trazendo o equilíbrio necessário entre segurança e agressividade para alcançar os melhores resultados.

Perfil agressivo

No mercado financeiro funciona assim: quem corre mais riscos, terá um alto retorno caso as suas expectativas se concretizem. Do contrário, terá uma perda significativa do capital. Afinal, quem estaria disposto a se arriscar em troca de pouca rentabilidade, não é mesmo?

Os investidores de perfil agressivo, diferentemente dos outros, estão exatamente em busca desse tipo de investimento. Eles não dão tanta importância às perdas de curto prazo que podem ocorrer e menos ainda às oscilações de preço frequentemente notadas na Bolsa de Valores.

Por isso, uma parte significativa da sua carteira de investimentos está alocada no mercado de renda variável, como ações, moedas, fundos de investimentos e outras modalidades que oferecem retornos significativamente superiores às aplicações de renda fixa.

O que são corretoras digitais?

É nítido e notório que os bancos tradicionais estão perdendo cada vez mais espaços no mercado, principalmente quando falamos em investimentos. Atualmente, os bancos cobram taxas extremamente altas para as aplicações e não oferecem vantagem alguma aos seus clientes que optam por poupar seu dinheiro alocando-o naquela determinada instituição.

Por enxergar essa demanda no mercado, as corretoras digitais vêm ganhando espaço entre os investidores e estão cada vez mais difundidas entre eles.

Uma corretora digital nada mais é do que uma plataforma de investimentos. Por meio dela você tem acesso aos mais diversos tipos de aplicações disponíveis no mercado, seja qual for o seu perfil de investidor. Elas oferecem, inclusive, títulos dos próprios bancos tradicionais.

Quais seus benefícios?

A grande diferença entre as corretoras digitais e os bancos está na facilidade em realizar as operações e, principalmente, na redução dos custos para se realizar os investimentos.

Hoje em dia, ninguém mais quer pagar taxas abusivas para aplicar seu dinheiro. Afinal de contas, você pretende economizar fazendo isso, e não gastar mais, não é mesmo? Por isso, se você pretende fazer aplicações, busque investir em uma corretora digital.

No ano de 2019, a expectativa é de grande melhora nos cenários dos investimentos. O Brasil, finalmente, parece dar sinais de que pode se recuperar da imensa crise que assolou o país nos últimos anos.

Portanto, chegou a hora de pensar no seu futuro. Em momentos de incerteza econômica e política como vivenciamos recentemente, é extremamente necessário ter responsabilidade com o dinheiro. A melhor forma de se prevenir contra as adversidades é cuidar, investir e deixar o seu dinheiro trabalhar para você.

A Plano de Vida pode auxiliar você durante esse processo. A nossa plataforma vai ajudá-lo na gestão das suas finanças, independentemente se você se encontra com problemas financeiros ou está precisando de ajuda para investir suas economias.

Então, não deixe o planejamento das suas finanças para depois. Entre já em contato com a nossa equipe e comece agora a investir em uma corretora digital!