O mercado financeiro é fortemente influenciado pela tecnologia. Os novos rumos que a economia, a política e a sociedade tomam também interferem no mercado e definem seu futuro. Por isso, é essencial ficar por dentro das tendências do mercado financeiro.

Faz-se necessária a aplicação de técnicas mais eficientes e sofisticadas. A segurança precisa ser aprimorada, a fim de proteger com mais eficácia os dados dos clientes. Também existe a necessidade de maior agilidade e comodidade nas transações financeiras, bem como de ferramentas capazes de analisar com precisão um volume de dados cada vez maior.

Pensando nesse importante tema, preparamos este post com 7 tendências do mercado financeiro. Continue acompanhando para conferir!

1. A inteligência exponencial

A inteligência exponencial é uma das tendências mais notáveis do mercado financeiro, pois permite a aplicação de soluções que se integram melhor ao ambiente corporativo, modificando a maneira como os negócios são realizados e como o gestor planeja o futuro da empresa.

Existem softwares que desenvolvem seu aprendizado com o próprio usuário, aprimorando a forma de apresentar seus conteúdos e customizando automaticamente a experiência de uso.

Já existem também robôs integrados, virtual e fisicamente, à rotina do negócio, o que torna possível acelerar processos e transformar as operações de rotina.

Nesse contexto, a empresa tem a oportunidade de atuar mais estrategicamente, com serviços mais inteligentes e direcionados para as demandas dos usuários.

Certas ferramentas, antes separadas da infraestrutura de TI, são, atualmente, integradas a ela, contribuindo para a geração de melhores resultados e maior competitividade.

2. O dark analytics

A análise de dados integra o dia a dia de qualquer empresa do setor financeiro. Sua finalidade é analisar os riscos que envolvem certas transações, como os empréstimos feitos pela organização e as próprias tendências do mercado.

Munido desses dados, o gestor tem melhores condições de planejar seus investimentos e traçar estratégias que surtam efeitos satisfatórios, destacando a empresa entre as concorrentes e facilitando a aquisição de lucros.

O dark analytics, ferramenta inovadora de análise de dados, tem ganhado muito impulso. Ele possibilita que as transações comerciais e financeiras façam uso de um elevado número de dados para a elaboração de planejamentos estratégicos eficientes.

O dark analytics faz mais que o Big Data, sobre o qual falaremos adiante, pois permite que a empresa combine dados estruturados e não estruturados, a fim de melhor entender os movimentos do mercado.

Ele pode incorporar informações da deep web (web profunda) com registros que já existem, permitindo aos analistas fazerem previsões mais certeiras.

Essa ferramenta melhora o nível da análise de dados, ajudando a empresa a incorporar outros fatores aos processos analíticos, diminuindo gastos e criando um local de trabalho que atende, de forma efetiva, às demandas dos clientes.

3. Everything as a service

Outra entre as tendências do mercado financeiro é a oferta de serviços em pacotes com mais ampla abertura para customizações, conforme as expectativas de cada cliente. É o que se chama de everything as a service (tudo como um serviço).

Essa inovação implica em uma grande transformação no modo como a empresa gera seu modelo de negócios. Os clientes obtêm melhores oportunidades de personalização de produtos e de pacotes de serviços.

Os serviços deixam, portanto, de seguir modelos convencionais para criar pacotes customizados. Como recompensa, a empresa consegue fidelizar mais clientes, que se tornam divulgadores da marca.

4. A computação cognitiva e a machine intelligence

Os processos automáticos já vêm ajudando as empresas, especialmente as indústrias, na redução de erros. A automação torna o ciclo operacional mais eficiente, pois agiliza e permite resultados mais satisfatórios.

Entre os bancos, essa automação vem se destacando mais ainda. Como resultado do uso da machine intelligence, os processos apresentarão melhor desempenho e a possibilidade de passarem por automação de forma simplificada.

Conforme a Pesquisa do FEBRABAN de Tecnologia Bancária 2018, 80% dos bancos alegaram que investem em inteligência artificial e em computação cognitiva, tecnologias complementares uma à outra.

As soluções de TI permitem que muitos processos sejam realizados sem a intervenção de seres humanos, ajudando a eliminar gastos e diminuir erros. Dessa maneira, a infraestrutura conseguirá moldar, de forma automática, suas configurações, conforme as necessidades dos clientes.

Como as operações secundárias são automatizadas, fica mais fácil direcionar o trabalho dos profissionais para as atividades realmente importantes, como a execução de ações relacionadas à atividade principal do negócio.

Podemos definir a computação cognitiva como a capacidade que as máquinas têm de pensar como seres humanos. Isso gera impactos positivos para o mercado financeiro, uma vez que aprimora a capacidade de processamento de informações relacionadas ao comportamento do consumidor.

A computação cognitiva consegue fazer análises financeiras e previsões, inclusive na Bolsa de Valores, inserindo dados do histórico.

5. O blockchain

A criptomoeda é uma das maiores inovações da atualidade, sendo o bitcoin a mais famosa de todas. O seu processo de valorização não para, e muitos gestores já estão adotando a moeda digital como estratégia de investimento, recebendo até pagamentos em bitcoins.

Um dos grandes trunfos do bitcoin é o blockchain, sua cadeia de blocos que funciona como um sistema antifraudes. Todos os negócios feitos com bitcoins são armazenados nesses blocos. Mas o armazenamento é descentralizado, ou seja, as pessoas integradas à rede apresentam acesso ao blockchain.

Para evitar fraudes, cada bloco é criptografado. Assim, caso um usuário queira fraudar algum pagamento, os blocos antecedentes e os seguintes não serão afetados. Em pouco tempo, é possível identificar o bloco que está sendo alterado e a fraude.

6. O Big Data

O Big Data é uma das tendências do mercado financeiro que estão se impondo de forma mais abrangente. Trata-se de uma reunião de dados armazenados que se fundamentam nos 5 Vs:

  • volume;
  • veracidade;
  • valor;
  • velocidade;
  •  variedade.

O Big Data contribui para controlar fraudes (avaliando o comportamento desviado de algum cliente), analisar dados com precisão (usando algoritmos que permitem considerar detalhes e reduzir perdas ao mesmo tempo em que se favorecem os ganhos) e aprimorar a experiência do cliente.

7. IT unbounded

O setor de TI deverá, nos anos seguintes, ficar mais integrado com outros setores. Essa já uma realidade, mas tende a se tornar uma constante em um futuro próximo. A TI deve se alinhar a todos os processos do negócio, contribuindo para melhorar o seu desempenho.

Com essa estratégia, é possível, entre outras coisas, realizar a compra de equipamentos nas necessidades efetivas da empresa e em suas metas de médio e longo prazos.

A configuração dos dispositivos será moldada conforme as características de cada setor, direcionando melhor os recursos.

Essas são algumas das principais tendências do mercado financeiro. É importante que o gestor se atualize e comece a aderir a algumas delas!

Gostou do post? Aproveite para assinar a newsletter e receber nossas futuras notícias e dicas diretamente no seu e-mail.